História

                 Em seus quase 30 anos de existência, o Laboratório de Termodinâmica e Tecnologia Supercrítica – LATESC tem contribuído para a formação de mestres e doutores com pesquisas inovadoras, empregando técnicas promissoras na obtenção de compostos de interesse de alto valor agregado e condizentes com os princípios e metodologias de baixo impacto ambiental.

              Ao longo de sua história, o desenvolvimento do laboratório foi marcado pela insistência e determinação dos professores que aqui desempenharam/desempenham suas atividades. Incialmente o Prof. Dr. João Borges Laurindo e Prof. Dr. Haiko Hense, empregaram investimento oriundo de projeto submetido ao antigo FUNCITEC (Fundação de Ciência e Tecnologia de Santa Catarina), e obtenção de espaço físico.

             Com a possibilidade destes professores procederem com seu aperfeiçoamento, através do estudo de doutorado no exterior, foram então os professores Dr. Leonel Teixeira Pinto, Dr. Ariovaldo Bolzan e Dr. Vladimir de Oliveira (na época doutorando em termodinâmica na COOPE/RJ), os quais estavam vinculados ao departamento por mais tempo, a assumir a execução do primeiro projeto de Extração Supercrítica – ESC no estado de Santa Catarina.

           Em meados de 1992 a então doutoranda Sandra R. S. Ferreira que estava na Unicamp, foi convidada a visitar o laboratório (LABTERM) e incentivá-la a cooperar. Seu ingresso na UFSC se deu no ano de 1997, juntamente com o retorno do Prof. João e Prof. Haiko, após conclusão do doutorado.

                  No ano de 1998, Anne Jochmann foi a primeira aluna do LABTERM quando o programa ainda era o de Engenharia Química, sendo orientada da Prof. Sandra e co-orientada pelo Prof. Haiko.

              Em 2000 a visita do Prof. Dr. Gerd Brunner resultou na idealização de um projeto conjunto entre a TUHH, Unicamp e UFP, para padronização de procedimentos de extração a partir de plantas tropicais. Para tanto, eram necessários equipamentos semelhante nos três centros de estudo, de modo a possibilitar comparação entre os resultados.

              Construíram então na Hamburg University of Technology – TUHH, sob a supervisão dos técnicos Thomas Weselmann e Waldemar Steinke, quatro unidades iguais, sendo que uma ficou na TUHH e as outras foram remetidas para o LABTERM – UFSC, Unicamp e UFPA. Assim nasceu a “Lurdinha” que ainda está viva a ativa!

               O curso de mestrado em Engenharia de Alimentos foi então introduzido no departamento, pois o programa da Engenharia Química não detinha condições de absorver os novos doutores que voltavam de seus estudos. Com o envolvimento de todos e com muito esforço, foi aprovado em 2000, e o programa de doutorado em 2005.

              Pode-se dizer que desde então o número de defesas de dissertação e posteriormente de teses foi aumentando gradativamente, mas os equipamentos se restringiam ao equipamento de ESC doado pela TUHH da Alemanha. Em virtude da possibilidade de diversificação de equipamentos no laboratório, ao invés investir recursos na ESC, optou-se pela construção de uma segunda unidade de ESC, bem como de outras unidades menores, de bancada, mais práticos e baratos, mas que permitem ampliar o leque de opções em pesquisa realizadas pelo LATESC.

          Compondo o Centro Tecnológico da UFSC, o Departamento de Engenharia Química e Engenharia de Alimentos – EQA que teve sua origem no final dos anos 1970, com a abertura dos referidos cursos. No início da década de 1980, o EQA empreendeu um grande esforço para a capacitação de docentes e instalação de laboratórios. Esse empenho resultou na criação do mestrado e do doutorado em Engenharia Química e também em Engenharia de Alimentos. Com a pós-graduação, procurou-se cada vez mais o fortalecimento dos cursos de graduação.

           O entrosamento das pesquisas com o desenvolvimento tecnológico permitiu a aproximação com as empresas e o crescimento do número de projetos, resultando em expressivos investimentos em infraestrutura e envolvimento dos estudantes como bolsistas, parcerias com instituições brasileiras e de outros países, tornando hoje o departamento com cursos de excelência na graduação e na pós-graduação.

     Dentre os 13 laboratórios de pesquisa, está o  Laboratório de Termodinâmica e Tecnologia Supercrítica – LATESC. O trabalho desempenhado junto ao LATESC evolui com a dedicação de seus pioneiros, fazendo de seus temas de estudo as necessidades da população, aliado principalmente no reaproveitamento de resíduos oriundos da indústria de alimentos e química, agregação de valor e beneficiamento de matérias-primas com potenciais funcionalidades benéficas à manutenção da saúde humana ou de processos industriais. Sendo uma das premissas o uso de metodologias de menor impacto ambiental.

          O vídeo abaixo é apresentado o departamento, material produzido no ano de 2015, quando o EQA comemorou 30 anos de existência.